sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Handbike



Handbike é uma espécie de bicicleta adaptada pra quem não pode pedalar uma convencional. Há muito tempo eu queria comprar uma, mas não havia nenhum fabricante nacional e as importadas eram muito caras. Cheguei a pesquisar bastante, trocar idéia com o pessoal lá nos USA, mas quando fiz os cálculos do preço da bike, somado aos custos de transporte e importação... desanimei.
Mas agora uma galera começou a fabricar essas magrelas aqui no Brasil a um custo bem mais em conta. Não é tão barato quanto uma bike convencional, já que a construção de uma hand precisa de um conhecimento mais específico, além disso elas não são fabricadas em série, são feitas sob medida, de acordo com a necessidade do bicicleteiro. A bike feita por eles se chama Handvikn.
No mês passado, no blog do meu amigo Jairo, que é cadeirante e repórter da Folha de São Paulo, o Assim como você, tomei conhecimento da novidade e de uma bela promoção de lançamento. Era preciso responder a seguinte pergunta: "Por que eu mereço ganhar uma Handvikn de presente de Papai Noel?". Valia mandar frases, vídeos, montagens... O primeiro lugar ganharia uma Handvikn novinha em folha e os vinte seguintes teriam um belo desconto na aquisição de sua bike.
Bem, infelizmente eu não ganhei. Mas fiquei entre os vinte melhores classificados com a carta que escrevi para o Papai Noel em forma de poema. Agora fiquem com a minha cartinha para o bom velhinho e o vídeo que ficou em primeiro lugar, vale a pena dar uma conferida:


Querido Papai Noel,

Por que eu mereço uma "hand"? Ah, isso depende.
São tantas razões pra contar... Não sei por onde começar.
O vento no rosto, o sol no corpo, o suor na pele...
Aquela sensação de liberdade. Que saudade.

Meu corpo já não responde como antes,
mas ainda pede por alguns instantes
de emoção, adrenalina, velocidade.

Os braços fazem o trabalho das pernas,
que já não têm forças pra empurrar, girar os pedais, movimentar...
Mas o coração, ah esse coração inquieto,
não para quieto, tem força de sobra pra bombear.

Bate forte nesse peito
só de imaginar-se a passear.
E pode ser no parque, na praia,
em qualquer lugar.

Aí no pólo norte deve fazer um frio danado,
passear com uma "hand" vai te ajudar a se esquentar.
Os duendes podem fazer duas: a minha e a sua.
Mas eu espero até o Natal, não precisa se preocupar.

Papai Noel, eu fui um bom menino.
Não deixei comida no prato, não briguei com meus irmãos.
E mesmo com a dificuldade que a vida me impôs,
segui em frente e não me deixei abalar.

Por que eu mereço uma "hand"? Ah, isso depende.
São tantas razões pra contar...
E tantas mais você pode imaginar.


5 comentários:

  1. Ronald:
    Excelente poema, excelente video, fosse eu, entregava uma handbike pa cada um.
    Abraco.
    LE

    ResponderExcluir
  2. Boa Luis, concordo com vc. Hahaha! Brigado.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Espero que vc consiga comprar com a bichinha um bocadinho mais barato, brother! Abraço

    ResponderExcluir
  4. Ronald, seu poema é incrível, parabéns... o vídeo tb merece aplausos.
    Quero ver vc se aventurando por Aju com a nova bike. bjs

    ResponderExcluir
  5. ola meu nome é leila minha mãe é cadeirante,e como o poema diz ela também não deixou de querer se aventurar sentir o vento na cara,enfim ter a sua independência...somos de familia humilde sem nenhuma condição financeira de poder comprar uma hand bike até porquê só descobrir que ela existe hoje,pesquizando pra minha mãe uma adaptação para sua cadeira motorizada que comprou parcelando sei la em quantas vezes,devido a minha pequena cidade ser de paralelepípedo,ela não esta conseguindo se locomover,agora ela quer adapta-la para um triciclo ou hand como conheci hoje...preciso de idéias ou se conseguimos comprar aquela peça e encaixar na cadeira para ela poder sentir o gosto da liberdade e sai por ai sem depender de ninguém...meu imail leilaethais@gmail.com.br alguem me ajuda por favor grata

    ResponderExcluir