quinta-feira, 21 de julho de 2011

Cinco anos não são cinco dias

Cinco anos se passaram, no dia 21 de julho de 2006 minha vida mudou radicalmente. Hoje, exatamente cinco anos depois, posso dizer que superei muita coisa. Acordar na UTI sem ter a mínima idéia do que tinha acontecido não foi fácil, ainda mais percebendo que não conseguia mexer quase nada do pescoço pra baixo.
Na sexta-feira passada, conversando com meu amigo Pedro, eu comentava sobre o dia de hoje e ele dizia: "Eu lembro". Ele, médico, me contou que assim que ficou sabendo do ocorrido, procurou as informações do Hospital Regional de Taubaté na internet, ligou pra lá e pediu pra falar com o plantonista. Se identificou e pediu informações sobre o meu caso, assim que ouviu o que estava no prontuário, pensou: "Fodeu!".
Passados cinco anos, eu consigo até rir desses fatos, mas não foram tempos fáceis. O importante é estar aqui! Satisfeito ou não com a situação, tenho que tentar construir a minha vida na realidade que vivo, que hoje é a cadeira de rodas. Olhos no futuro, cabeça no presente.


Aquele abraço!