terça-feira, 31 de agosto de 2010

Novas descobertas

Uma nova descoberta de cientistas brasileiros que pode ajudar na recuperação de lesões na medula.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Mais uma questão de direito

Dia 26/08 tive uma audiência de conciliação a respeito dos danos morais que tenho a receber da CASSI, referente ao processo que abri por causa de duas cirurgias que eu precisava fazer e, a princípio, eles não tinham aprovado. Uma dessas, inclusive, já foi realizada e a próxima será no dia 17 de setembro. Bom, como era uma audiência de conciliação, as partes não são obrigadas a aparecer, e eles não deram a cara por lá.
Mas nem era sobre isso que eu queria comentar. A audiência aconteceu no Fórum Gumersindo Bessa, que centraliza esses serviços aqui em Aracaju, num setor chamado Central de Conciliação. Beleza, cheguei lá com o meu pai, fiz o cadastro e perguntei onde ficava o tal lugar. "E como é o acesso pra lá? Tem rampa? Elevador?" Seria bom demais pra ser verdade.
A recepcionista disse: "Fale ali com aquele rapaz, que é ele quem organiza tudo aqui". E pra minha surpresa, o cara também era cadeirante. Fui lá conversar com ele, que me disse: "A Central de Conciliação é o pior lugar daqui, fica lá embaixo - disse apontando pra janela - e não tem rampa. A gente tá lutando pra resolver isso. Mas vamos dar um jeito, pode vir comigo". E lá fomos nós, ele chamou algumas pessoas, pediu pra que algumas portas fossem abertas... Fizemos uma puta volta, passando por dentro de várias salas, mas enfim consegui chegar.
Encontrei o "doutor adevogado" na sala de espera e fomos chamados depois de uns cinco minutos. Como eu já tinha falado, a outra parte não compareceu, então o advogado conversou um pouco com a conciliadora e escreveu um adendo no processo (não sei qual o termo técnico) explicando a situação e deixando a cargo da juíza responsável a estipulação de um valor para a indenização.
Agora voltando à questão da acessibilidade. Um lugar que foi especialmente construído pra garantir a realização da justiça, um prédio relativamente novo e muito bem feito, deveria ter sido pensado de forma a promover acessibilidade plena a todos os lugares, né não? Bom espero que isso seja resolvido logo e que a luta do meu amigo cadeirante, que me ajudou lá e do qual eu não lembro o nome, tenha logo resultado.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Celebrity Death Match

Mark Zupan é o principal personagem de um documentário lançado em 2005 chamado Murderball. O filme mostra a rotina de um grupo de paratletas praticantes de Murderball (uma adaptação do rugby pra cadeira de rodas), também chamado de quad rugby. Mark fez muito sucesso quando participou do filme Jackass 2, fazendo parte de todas aquelas maluquices, mesmo na cadeira de rodas.
E a MTV americana tem um programa chamado Celebrity Death Match, onde celebridades lutam até a morte num ringue de luta livre (tudo em animação, claro). E o que Mark Zupan tem a ver com isso? Bom, acontece que fuçando no youtube eu encontrei um vídeo muito engraçado, com a participação de Zupan em uma das lutas. E não é que o cara faz bonito? Divirtam-se:

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Em todos os lugares. (Até nos mais improváveis).

É cada vez mais notável a presença de pessoas com deficiência em todas as áreas da sociedade, ocupando espaços no mercado de trabalho, nos esportes, nas escolas e universidades. A acessibilidade e a inclusão da pessoa com deficiência estão cada vez mais em pauta e a preocupação com esses valores, que vêm crescendo bastante, só tende a aumentar. O que é bastante positivo.
Mas tem um camarada que levou esse papo de inclusão no mercado de trabalho um pouco a sério e resolveu investir numa carreira não muito convencional (e podemos dizer... bastante questionável). O cara simplesmente decidiu ser assaltantante e foi preso pela polícia de São Paulo na fuga de um assalto a uma loja de roupas, quando o carro adaptado que dirigia capotou numa curva.
Seguem o texto e o vídeo da reportagem do Bom Dia Brasil:

Quadrilha com ladrão cadeirante é presa em São Paulo

A polícia perseguiu outro carro por cerca de cinco quilômetros até que o veículo capotou em uma curva. Ao volante do carro, que é adaptado, estava um deficiente físico.


Uma quadrilha atacou uma loja de roupas e calçados na madrugada de hoje na zona norte de São Paulo. Os ladrões estavam em vários carros.
A polícia perseguiu o grupo e conseguiu prender três dos assaltantes e teve uma surpresa: um deles é cadeirante.
A porta da loja de roupas foi arrebentada por um carro. Os ladrões, que estavam em quatro automóveis, entraram e roubaram tudo que conseguiram carregar.
Vizinhos chamaram a polícia, que chegou quando os assaltantes se preparavam para fugir. Dois ladrões foram presos logo em seguida, em um carro lotado de mercadorias. A polícia perseguiu outro carro por cerca de cinco quilômetros até que o veículo capotou em uma curva. Ao volante do carro, que é adaptado, estava um deficiente físico.