segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Mais uma questão de direito

Dia 26/08 tive uma audiência de conciliação a respeito dos danos morais que tenho a receber da CASSI, referente ao processo que abri por causa de duas cirurgias que eu precisava fazer e, a princípio, eles não tinham aprovado. Uma dessas, inclusive, já foi realizada e a próxima será no dia 17 de setembro. Bom, como era uma audiência de conciliação, as partes não são obrigadas a aparecer, e eles não deram a cara por lá.
Mas nem era sobre isso que eu queria comentar. A audiência aconteceu no Fórum Gumersindo Bessa, que centraliza esses serviços aqui em Aracaju, num setor chamado Central de Conciliação. Beleza, cheguei lá com o meu pai, fiz o cadastro e perguntei onde ficava o tal lugar. "E como é o acesso pra lá? Tem rampa? Elevador?" Seria bom demais pra ser verdade.
A recepcionista disse: "Fale ali com aquele rapaz, que é ele quem organiza tudo aqui". E pra minha surpresa, o cara também era cadeirante. Fui lá conversar com ele, que me disse: "A Central de Conciliação é o pior lugar daqui, fica lá embaixo - disse apontando pra janela - e não tem rampa. A gente tá lutando pra resolver isso. Mas vamos dar um jeito, pode vir comigo". E lá fomos nós, ele chamou algumas pessoas, pediu pra que algumas portas fossem abertas... Fizemos uma puta volta, passando por dentro de várias salas, mas enfim consegui chegar.
Encontrei o "doutor adevogado" na sala de espera e fomos chamados depois de uns cinco minutos. Como eu já tinha falado, a outra parte não compareceu, então o advogado conversou um pouco com a conciliadora e escreveu um adendo no processo (não sei qual o termo técnico) explicando a situação e deixando a cargo da juíza responsável a estipulação de um valor para a indenização.
Agora voltando à questão da acessibilidade. Um lugar que foi especialmente construído pra garantir a realização da justiça, um prédio relativamente novo e muito bem feito, deveria ter sido pensado de forma a promover acessibilidade plena a todos os lugares, né não? Bom espero que isso seja resolvido logo e que a luta do meu amigo cadeirante, que me ajudou lá e do qual eu não lembro o nome, tenha logo resultado.

2 comentários:

  1. Vixi.. Isso eh tão comum!! Vejo isso de perto há pelo menos 25 anos!! "a coisa" já melhorou muito, mas eh ridículo o descaso que continua existindo msm nos dias de hj!! E falo isso em relação a td!! As cirurgias q no caso do meu irmão umas ate hj nem foram realizadas, as ruas, os lugares... Eh q infelizmente não são muitos os q se preocupam com as reais questões necessárias do povo!!!

    ResponderExcluir
  2. Pois é Dani, verdade. Mas nesses quatro anos venho percebendo que as coisas estão melhorando, mesmo que aos poucos. Os lugares vêm tentando se adaptar à realidade, eu percebo pq n fico em casa, vou pra rua e enfrento tudo. Vejo uma mudança de atitude, de consciência nas pessoas. Não é todo mundo que se preocupa e quer se ajustar, mas a coisa tá melhorando.

    ResponderExcluir