sábado, 27 de fevereiro de 2010

Queria que ele estivesse aqui!

Hoje aconteceu uma situação que me deixou sem reação no intervalo da aula, lá na minha pós. Estávamos eu e alguns amigos, conversando no corredor, quando o professor de outra turma saiu de uma das salas e cumprimentou Messias, um dos meus colegas (tinha sido professor dele na graduação).
Na mesma hora, ele (o professor) olhou pra esta figura que vos fala, aqui na cadeira de rodas, e perguntou: "O que foi isso, rapaz?". Já acostumado com esse tipo de reação, respondi de pronto: "Acidente de carro!". O diálogo seguiu assim:
(professor): É... mas o importante é que você está aqui.
Todos ao redor concordaram e sorriram, sem jeito.
(Messias): Isso mesmo, podia ser pior.
(professor): É verdade, eu perdi um filho num acidente. Aquele ônibus do Arqui que sofreu o acidente há alguns anos. (Ele se referia a um acidente que ocorreu com um ônibus que voltava de uma viagem com os alunos do Colégio Arquidiocesano de Aracaju, que vitimou várias pessoas)
(Messias): Verdade? Ah, eu lembro desse acidente.
(professor): É, perdi o meu filho. Queria que ele estivesse assim como você, mas que estivesse aqui.
Não soube o que responder. A conversa acabou por aqui.

2 comentários:

  1. Talvez ele pudesse só desejar que o filho estivesse. Já bastava. Você está meu bom.. você ESTÁ 100% aqui!!!!
    Mas a saudade e a ausência são assim né... quem sou eu pra julgar afinal?
    Você viu esse vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=h-8PBx7isoM
    Dá um tchan.. é legal! Beijos, silvia.

    ResponderExcluir